quinta-feira, 7 de abril de 2011

quaresma continuaçaõ

Período Litúrgico da Quaresma

Texto de Reflexão
O SENTIDO DO PERÍODO LITÚRGICO DA QUARESMA
Pr. Ronan Boechat de Amorim – Igreja de Vila Isabel/RJ

No Calendário Litúrgico Cristão a estação da Quaresma compreende os seis domingos que antecedem o Domingo da Páscoa, e começa sempre na 4ª-feira de cinzas. Mas não foi sempre assim. Até esta definição passou muito, muito, muito tempo. Os cristãos do século II, por exemplo, preparavam-se para a Páscoa com um jejum de pesar que durava apenas dois dias. Um século mais tarde se estendeu a toda uma semana. E com o passar dos tempos essa prática do jejum passou a ser feita num espaço de tempo bem maior.

No Concílio Ecumênico de Nicéia, no ano de 325, já se fala em “Quaresma” para designar esse tempo de preparação para a Páscoa. Quaresma é uma palavra que vem da língua latina e quer dizer “quadragésima”. A Quaresma passou a designar, desde então, o período de 40 dias de preparação para a Páscoa.

Com a celebração da Quaresma desejava-se imitar a Jesus que jejuou durante 40 dias no deserto, depois de seu batismo no rio Jordão (Mt 4:2; Lc 4:1s). Era uma alusão também aos 40 dias em que Moisés jejuou no Monte Sinai (Ex 34:28), ao profeta Elias que caminhou em direção ao Monte Horeb (1Rs 19”8) e ainda aos 40 anos de peregrinação do povo de Israel pelo deserto.

O jejum da Quaresma consistia em fazer apenas uma refeição diária, tomada à tardinha, segundo um antigo costume. A essa prática foi acrescentada, em seguida, abstinência dos laticínios (leite, manteiga, etc) e até mesmo de ovos. Os cristãos desse tempo consideravam o jejum como uma maneira de fortalecer a oração.

Além disso o jejum era visto como uma preparação para receber o Espírito Santo, uma “arma” eficaz contra os espíritos malignos, e também era uma preparação adequada para as ações religiosas, tais como a recepção de batismo e da eucaristia e, também uma maneira de colocar em prática a disposição efetiva de ajudar os pobres, poupando do próprio alimento.

A Igreja conhecia a advertência do profeta Isaías (Is 58:5s) contra o jejum sem seriedade. Então, neste período da Quaresma sobretudo, a Igreja insistia nas exortações feitas por Jesus no Sermão do Monte (Mt 6:16-18). A Quaresma, portanto, dentro do calendário litúrgico cristão, é um período de preparação e fortalecimento do(a) discípulo(a) para a Missão.

De maneira geral, infelizmente, a grande maioria dos evangélicos brasileiros não se orientam pelo Calendário Cristão. Assim, parece que a celebração da Quaresma (dos 40 dias de preparo!) é coisa apenas da Igreja Católica, o que não é verdade. Na Europa e América do Norte o calendário cristão é conhecido, respeitado e celebrado.

Devemos encarar o período litúrgico da Quaresma como um oportuno e alegre tempo de preparação para a Páscoa, tal qual o Advento é para o Natal. Pois, além das atitudes de renúncia e quebrantamento, o que mais se enfatiza e exige nesse período é sempre uma abertura maior para com a Palavra de Deus, e um zelo mais intenso na participação do culto divino e no exercício de uma caridade fervente e ativa que exige conversão da mente, do coração, do “bolso”, das mãos, dos serviços, etc... Conversão em todos os domínios e sentidos da vida (cf. Mc 1:15).
De forma que precisamos valorizar a celebração da Quaresma. Principalmente no aspecto positivo de jejum, que não se reduz à mera privação de alimentos (o deixar de comer!), mas que tem um sentido maior e mais amplo, que é o de conversão, opção radical e dependência total do Senhor e contenção interior (disciplina/santificação) e total de tantas comodidades que a vida moderna oferece. Implica em reconhecer que o nosso sustento vem de Deus: Jesus, o Cordeiro da Páscoa, é o Pão da Vida e a Água da Vida que nos alimenta e sacia. A Quaresma nos prepara para a Páscoa, a celebração da Quaresma nos prepara para enfrentarmos o que vem pela frente, mesmo que seja a cruz...

Daí que, na mente dos primeiros e fervorosos cristãos, jejum e oração tinham de andar sempre de mãos dadas. E é nesse espírito que devemos celebrar a Quaresma hoje. Quem sabe, assim, a Páscoa (morte e ressurreição de Jesus!) não seja mais reduzida a apenas um culto bonito de Domingo, a um feriado oportuno para acampamento ou viagem pra casa de praia/campo. Ou ainda ao consumo de ovos de chocolate promovida pelo comércio, quase sempre procurando esconder e anular a cruz de Jesus, esvaziar a paixão e a ressurreição de Jesus, colocando-o apenas como personagem periférico numa cena de pano de fundo de uma história que aconteceu já faz muito tempo.

Programa para Celebração
CELEBRANDO COM AS CRIANÇAS O PERÍODO LITÚRGICO DA QUARESMA
Jenni Douglas Duncan / tradução e adaptação da Diaconisa Anita Betts Way
(Extraído do Caderno Nós e as Crianças nº 20, gentilmente cedido pela Departamento Regional de Trabalho com Crianças da I Região Eclesiástica )

Assim como Advento, Natal, Epifania, Páscoa, Pentecostes e Primícias do Reino, a Quaresma é uma das estações litúrgicas do Calendário Cristão, observada pelos cristãos em todo mundo.

A Quaresma, assim como o Advento, é um período de preparação. Se no período litúrgico do Advento nos preparamos para o Natal, na Quaresma nos preparamos para a celebração da Páscoa, o marco do Cristianismo. Na Quaresma nos lembramos de modo especial todo o preparo de Jesus para desenvolver sua missão: a vida e o sacrifício de Jesus. Este é um período para meditação e de introspecção, tempo de examinarmos nossos pensamentos e sentimentos, para lembrar que Cristo veio para nos dar vida nova e tempo de refletirmos sobre nosso preparo para o discipulado e para a Missão.

A Quaresma abrange os 40 dias que vão da 4º feira de cinzas até o Sábado, véspera do domingo de Páscoa. Nesses 40 dias temos 6 domingos que podemos usar para celebrar nossa fé com nossas crianças.

I - PREPARAÇÃO:

Cada criança receberá um “kit” no 1º domingo da Quaresma (em 1999 será 21 de fevereiro). Este “kit” poderá ser levado para casa, ou guardado com o/a professor/a que trabalhará com os/as alunos/as na sala de aula aos domingos.

O “kit” consiste de 46 pequenas tiras de papel (12cm X 2cm) que serão usadas para fazer uma corrente de papel. Essas 46 tirinhas devem ter as seguintes cores:
5 tiras - lilás - domingos
1 tira - branca - Páscoa
1 tira - preta - 6º feira santa
39 tiras roxas - dias da semana

A – CELEBRANDO O 1º DOMINGO DA QUARESMA (dia 21 de Fevereiro)
1. Juntar 4 tiras roxas entrelaçando-as para formar a corrente (estas representam 4º feira de cinzas, 5º e 6º feiras e sábado).
2. A 5º tira será lilás – representando o domingo.
3. Antes de colar as 6 tiras roxas desta semana, deixe que as crianças escrevam em cada tira um motivo de oração pelo qual irão orar no respectivo dia da semana – oriente as crianças: os motivos podem ser de louvor, gratidão, perdão, nome de pessoas que necessitam de oração, etc – então, faça a corrente.

B – CELEBRANDO O 2º DOMINGO DA QUARESMA (dia 28 de Fevereiro)
1. Colocar a tira lilás para domingo
2. Preparar as tiras para a semana que se inicia hoje, escrevendo os motivos de oração, e continuar fazendo a corrente.

C – CELEBRANDO O 3º, 4º E 5º DOMINGOS DA QUARESMA:
Nos domingos 7, 14, e 21 de Março fazer o mesmo que foi solicitado acima.

D – CELEBRANDO O 6º DOMINGO DA QUARESMA (dia 28 de Março)
OBS: O 6º Domingo da Quaresma foi o último Domingo de vida de Jesus, antes de sua morte na cruz. É o dia em que Jesus entrou em Jerusalém montado em um jumentinho e que o povo o saudava cantando “HOSANA”, cobrindo o caminho por onde Ele passaria com folhas e ramos. É o que comumente se chama de “Domingo de Ramos”
1. Preparar as tiras lembrando de colocar a tira preta para representar 6º feira santa.

E – CELEBRANDO O 1º DOMINGO DA PÁSCOA (dia 4 de Abril)
OBS: O primeiro Domingo da Páscoa é o Domingo em que Jesus ressuscita e aparece aos discípulos.
1. Colocar a tira branca

II - SUGESTÕES PARA DEVOCIONAIS PARA A CELEBRAÇÃO DA QUARESMA

OBS: O/A professor/a deverá preparar os Símbolos (lembrancinhas) para distribuir à cada Domingo.

1º SEMANA - “RESERVE TEMPO PARA DEUS”
SÍMBOLO: Mãos postas (em prece).
1 - Numa folha de papel dobrado faça o contorno da mão da criança - (dedos juntos como se fossem mãos em prece).
2 - Recorte a mão procurando deixar a ponta do dedo médio preso ao papel de baixo ou então cole com fita adesiva para que possa ser aberto como um livro.
3 - Escreva nos dedos da mão esquerda os momentos em que “Falo com Deus” : antes de dormir, ao acordar; na Escola Dominical; nas refeições; quando tenho dificuldades e problemas; em todas as ocasiões. Escreva nos dedos da mão direita os momentos em que “Escuto a voz de Deus”: quando paro para meditar; na Igreja e quando leio a Bíblia; através da música; quando fico quieto.
Nesta primeira Semana enfatize com as crianças:
Quando temos algo para contar, como é que você se sente se a pessoa a quem você quer contar, não para de falar e não presta atenção ao que você quer contar?
Mostre como é importante escutar também. Quando falamos com Deus, também precisamos escutar! A Quaresma será oportunidade para praticarmos. Vamos aprender a ouvir - escutar...
Use o livrinho das mãos que você preparou e converse com as crianças sobre os momentos que falamos com Deus e os momentos que ouvimos Deus nos falar. Deixe que as crianças coloquem sua experiência.
Para encerrar, tenha um momento para orar e escutar o que Deus tem para dizer a cada um/a (individualmente).

2º SEMANA - “ESPERE PELO TEMPO DE DEUS”
SÍMBOLO: Casulo
1 - Faça um cone de papel - coloque uma borboleta dentro. Prepare o casulo e borboleta para cada criança. - Use sua criatividade!
2 - Tenha figuras de um casulo, de borboletas; também de flores que nascem de bulbos - se possível traga um bulbo de alguma flor ou planta.
3 - Converse com as crianças sobre o tempo que leva para que a “resposta” venha. comente a experiência do casulo.
Nesta segunda Semana enfatize com as crianças:
Geralmente queremos uma resposta imediata! Queremos que a resposta seja aquela que nós esperamos. Não gostamos quando nossos pais falam - “Não”, ou “espere”, ou “Quem sabe”, “Vamos ver” etc... Precisamos aprender a orar, entregar nas mãos de Deus e confiar. Aprender a esperar pelo “tempo de Deus”.

3º SEMANA - “NÃO A MINHA VONTADE, MAS A TUA”
SÍMBOLO: Pedra
1 - Escolha pedras (lavadas), 1 para cada criança levar.
Nesta terceira Semana enfatize com as crianças:
1 - Conte como Jesus orou no Getsêmani (com as crianças maiores).
Diga que às vezes nós sabemos o que Deus quer de nós, mas temos medo de dizer como Jesus disse: “Não a minha vontade, mas a tua vontade, Senhor!”. Durante a quaresma temos tempo para pensar se estamos escolhendo a nossa vontade e deixando de receber a resposta melhor que vem de Deus. Foi muito difícil aquele momento para Jesus e Ele ora ao Pai dizendo - “Se for possível, passa para mim este cálice, mas faça-se a Tua vontade”. As vezes é duro para nós também. Pôr isso esta pedra vai nos fazer lembrar que é duro esperar e obedecer a vontade de Deus.
2 - Celebre agora um “momento de trevas”; use nove velas, e uma cruzinha.
Para cada uma das passagens bíblicas lidas (veja relação dos textos abaixo!) apague uma das velas. Um texto lido, uma veja apagada... Quando todas as velas estiverem apagadas, leia a última passagem e diga: “Sempre houve pessoas que não quiseram ouvir falar sobre Jesus e sobre o amor de Deus. Durante a Quaresma lembramos que muitas pessoas no mundo ainda não conhecem a Jesus, sua palavra e seu exemplo e vivem nas trevas”.
Os textos bíblicos são:
- Lucas 22:1-6
- Lucas 22:17-23
- Lucas 22:39-46
- Lucas 22:54-62
- Lucas 22:63-71
- Mateus 27:3-8
- Lucas 23:1-5
- João 14:1-4
- Lucas 23:44-46

4º SEMANA - SOMOS PERDOADOS
SÍMBOLO: Cruz
Prepare uma cruz de papel. Escreva “JESUS” na parte transversal da cruz e na parte de dentro, no sentido vertical, escreva “PERDOADO(a)”, deixando a parte transversal em branco para colocar o nome da criança.
No Domingo:
Dê a cada criança um pequeno pedaço de papel onde ela escreverá ações pelas quais precisa pedir perdão. Lembre-se de ajudar as crianças menores.
Conduza um momento de oração, deixe as crianças orarem silenciosamente e em seguida faça uma oração comunitária de confissão.
Então, peça `as crianças que rasguem os papéis em pedacinhos e os coloquem sobre uma cruz ( igual à “lembrancinha” que você preparou) que deverá estar em lugar de destaque na classe.
Para encerrar, entregue as lembrancinhas, converse com as crianças sobre o seu significado e deixe que completem colocando cada uma o seu nome no local apropriado.

5º SEMANA - “CRESCEMOS EM UNIÃO UNS COM OS OUTROS”
SÍMBOLO: O pão e o Cálice
Inicie a conversa hoje falando sobre refeições, refeições diárias, em família. O que as fazem especiais? – São momentos de alegria e partilha. Momentos de comunhão, fraternidade e intimidade.
No tempo de Jesus as refeições eram particularmente importantes. Com exceção das grandes festas somente pessoas mais íntimas das famílias eram convidadas a participar.
Se a sua Igreja celebra o “Lava Pés” na 5º feira que antecede ao Domingo de Páscoa, explique o significado deste ritual para as crianças.
Relembre a história da Última Ceia, última refeição de Jesus com seus discípulos – momento de partilha, comunhão e compromisso. Nesta ocasião Jesus instrui seus discípulos para que celebrassem a Ceia do Senhor, em sua memória, toda vez que se reunissem. Aproveite a ocasião para conversar sobre Eucaristia com as crianças. No final deste caderno você encontrará uma boa reflexão de um pastor metodista que poderá lhe auxiliar. Sugerimos que você passe uma cópia deste texto para o/a seu/sua pastor/a e combine para que ele/a conduza este momento (leia também Carta Pastoral do Colégio Episcopal que orienta sobre a Ceia do Senhor).

6º SEMANA - “ESPERE POR GRANDES COISAS DA PARTE DE DEUS”
SÍMBOLO: Ovo.
Traga uma cestinha de Páscoa com estes símbolos dentro dela. (Uma cruz, um ovo, uma borboleta, um coração). Deixe a cesta coberta e pergunte às crianças o que acham que encontramos nesta cesta de Páscoa?
Depois das crianças tentarem adivinhar, tire a CRUZ.
“Porque esta cruz está dentro da cesta?” (Porque Jesus morreu na cruz por nós).
Em 2º lugar, tire o OVO. Isto é o que vocês esperavam. Mas, por que um ovo na Páscoa? Porque o ovo parece que está morto, porém, o que vem do ovo? (pintinho, ou outros ovíparos...) o Ovo é um símbolo na Páscoa, porque é uma das surpresas de Deus. A quaresma e Páscoa nos fazem lembrar que Deus não deixa as coisas fechadas e vazias. Deus está cheio de vida e nos dá vida.
Em 3ºlugar, tire a BORBOLETA. A borboleta também nos faz lembrar que Deus traz vida de um casulo - que também parece vazio e sem vida.
Em 4ºlugar - tire o CORAÇÃO - O coração nos faz lembrar a razão da Quaresma e Páscoa e o AMOR de Deus por nós.
Aproveite para fazer uma recordação do que foi trabalhado durante os 40 dias da Quaresma e finalize dizendo:
“- Separando tempo para Deus, e Esperando pelo tempo de Deus, nós somos perdoados, e esperamos GRANDES COISAS do Senhor que cumpre a sua promessa. JESUS ESTÁ VIVO! ALELUIA!”


--------------------------------------------------------------------------------

. VOLTAR





Igreja Metodista / DNTC - Departamento Nacional de Trabalho com Crianças. Copyright 2005 ® todos os direitos reservados

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário